domingo, 17 de agosto de 2014

A Arte de Ouvir - Divaldo Franco


Onde quer que te encontres, de uma ou de outra forma, despertarás o interesse de alguém. 
Algumas pessoas poderão arrolar-te como antipático e até buscarão hostilizar-te. 
Outras se interessarão por saber quem és e o que fazes. 
Inúmeras, no entanto, te falarão, intentando um relacionamento fraterno. 
Cada qual sintonizará contigo dentro do campo emocional em que estagia.
Como há carência de amigos e abundância de problemas, as criaturas andam à cata de quem as ouça, ansiando por encontrar compreensão. 
Em razão disso, todos falam, às vezes, simultaneamente.
Concede, a quem chega, a honra de o ouvir. 
Não te apresses em cumulá-lo de informações, talvez desinteressantes para ele. 
Silencia e ouve.
Não aparente saber tudo e estar por dentro de todos os acontecimentos.
Nada mais desagradável e descortês do que a pessoa que toma a palavra de outrem e conclui-lhe a narração, nem sempre corretamente.
Sê gentil, facultando que o ansioso sintonize com a tua cordialidade e descarregue a tensão, o sofrimento…
No momento próprio, fala, com naturalidade, sem a falsa postura de intocável ou sem problema.
A arte de ouvir é, também, a ciência de ajudar.

Divaldo Franco - Joanna de Angelis

Sem comentários:

Enviar um comentário