terça-feira, 3 de junho de 2014

72 - Preço a Pagar, do Livro Justiça Divina - Chico Xavier / Emmanuel (FEB)

* Referência: Capítulos do Livro Justiça Divina - Chico Xavier/Emmanuel (FEB).
Objetivo: estudo de questões do livro O Céu e o Inferno (CI) de Allan Kardec.
Roteiro: Meditação - Leitura da Questão - Curiosidades.
(Meditação sobre o capítulo 72-Corações venerados) 
Reunião pública de 10-11-1961
 
CI – 1a Parte - Cap. XI – Item 12.
72-Finados
Saudade...
O tempo leva tudo e a todos.
Quem já passou de certa idade, percebe que são muitas as notícias de enterros, muitos nomes conhecidos e queridos que deixaram a escola da carne, muitas amizades que já não estão mais nesse plano.
São muitas as lembranças do passado, algumas tristes e outras felizes.
E uma sensação de vazio que insiste em nos envolver.
Ah! Os mortos que te guiaram ao bom caminho!” – exclama Emmanuel.
Em breves situações, suas vozes e imagens retornam
ao nosso pensamento como se tudo tivesse ocorrido ontem.
72-Solidao
É um adereço de criança que nos faz lembrar daqueles que nos criaram... 
É uma brincadeira que nos lembra de um irmão ou amigo de infância...
É uma pergunta que nos leva a lembrar dos professores da escola... 
É uma música que nos leva de volta para a adolescência...
Não te rendas, contudo, ao desespero, se o frio da ausência parece constituir a única resposta da vida aos anseios que te fluem da inquietação.
– recomenda Emmanuel.
Devemos buscar o amparo da prece para converter a tristeza da saudade em alegre esperança pelo reencontro.
Eles permanecem lá no Mundo Maior, percebendo nossos pensamentos
e aguardando nossa vez de retornar.
Há, porém, um preço a pagar por este reencontro:
- abnegação ao trabalho que a vida nos confiou.
Eles exemplificaram sacrifício e devotamento para iluminar nosso entendimento.
Busquemos inspiração neles!
Não tenhamos medo da passagem dos anos. 
Se após o outono vem o frio do inverno, o fim do inverno trará as cores de uma nova primavera.
E Emmanuel compara nossa vida atual com um navio que atravessa um grande mar.
72-jesus_no lemeNosso corpo físico partiu do porto que chamamos de berço e navega para o porto da morte no continente do plano astral.
Toda atividade junto ao navio facilita ou embaraça a nossa boa viagem.
Vive, assim, a realizar o melhor que puderes, de vez que, se te consagras ao bem, em verdade não fugirás à passagem da noite, mas todos aqueles que, um dia, te conduziram ao bem ser-te-ão novas luzes no instante do alvorecer.” (Emmanuel)
Fonte: http://www.espiritbook.com.br/profiles/blog/show?id=6387740%3ABlogPost%3A1683133&xgs=1&xg_source=msg_share_post

Sem comentários:

Enviar um comentário