segunda-feira, 7 de abril de 2014

Tu e Alguém - André Luiz/Waldo Vieira


— Alguém falou mal de ti?

Perdoa.

E além de perdoar, aproveita a lição: quem sabe foi dito algo de verdadeiro que merece ser analisado para ser corrigido?
— Alguém te feriu?

Abençoa esse alguém.

Se agiu assim não sabe o que fez: quem pode atirar a primeira pedra?
— Propalas o mal que alguém te fez?

Disciplina-te.

Nunca mais faças isso: olvidar o mal é o princípio do bem de que todos necessitamos.
— Demonstras mágoa reprovativa para com alguém?

Domina-te.

Não lhe dês satisfações prejudiciais. Ajuda a esse alguém e passa adiante exemplificando o amor fraternal.
Tens insônia ruminando mentalmente o caso que te aborrece?

Vigia.

Pensa o menos possível no mal que outrem te fez: quem estende o sofrimento alheio recebe sempre sofrimento maior.
— Não cogitas de reconciliação?

Pondera.

Concilia-te na primeira oportunidade, com todos aqueles que te ofenderam, mostrando a iniciativa da boa vontade sem orgulho que te ensombre e sem bajulação que te avilte.
— Dizes perdoar e não queres mais ver os que te feririam?

Reconsidera.

Perdoemos não só com os sentimentos mas também com as ações transformando-nos em colaboradores, ainda que ocultos e indiretos, da felicidade e da paz de quantos se levantam por nossos adversários.
— Queres esquecer sem perdoar?

Reflete.

Perdoa incondicionalmente aqui e agora: uma restrição que imponhas é nuvem para o futuro cujos pormenores desconhecemos.
— Afirmas que perdoarás amanhã?

Medita.

Perdoa tão depressa quanto possível, aproveitando o dia que passa e ainda esta noite o teu sono será mais tranquilo.
— Não te sentes com a força de perdoar?

Ora.

A Providência Divina dar-te-á energias novas com que possas plantar humildade no coração e maturidade no espírito.
— Mentalizas a vingança?

Repara.

O ódio é suplício que impomos a nós próprios; perdão é alegria e amizade que partem de nós para fortalecimento da alegria e da amizade no mundo inteiro.
— Alguém não te entende a mensagem de reaproximação e bondade?

Acalma-te.

Se esse alguém permanece inabordável e irredutível, asserena a consciência e aguarda confiante, servindo quanto puderes, na certeza de que estarás junto desse alguém ao lado do amor infinito de Deus, que auxilia e espera sempre.

André Luiz
VIEIRA, Waldo. “Sol nas Almas”. Pelo Espírito André Luiz. 6ª.ed. Uberaba, MG: CEC. 1985, Capítulo 60.

Sem comentários:

Enviar um comentário