sábado, 15 de março de 2014

Divulgação Espírita


Assim como o sedento procura as águas da fonte para saciar-se, a divulgação do Espiritismo acontece naturalmente. 
Em Doutrina Espírita, ninguém necessita preocupar-se em propagá-la, ao ponto de promover o chamado "proselitismo de arrastamento", muito comum em certas religiões que desejam impor-se pelo número de seus adeptos. 
A propaganda espírita é feita principalmente através do exemplo dos que lhe abraçaram os princípios. 
Sem dúvida, não se deve deixar "a candeia sob o alqueire", conforme recomendação do próprio Cristo, no entanto não há que se preocupar em espalhar a luz da Verdade além dos limites do bom senso, evitando-se, a todo custo, uma reação de antipatia por parte daqueles que não pensam como nós.
Os Espíritos são mais eficientes na tarefa da divulgação do que os homens que se ocupam de semelhante mister, de vez que, em toda parte, se utilizam de instrumentos mediúnicos na produção do fenômeno que atrai a atenção das pessoas para os assuntos relacionados com a Vida Espiritual. 
Se os espíritas se dispuserem a estudar e a explicar a Doutrina em suas reuniões, tornando o livro e a mensagem espírita acessíveis ao grande público, já estarão cumprindo com a sua parte, sem necessidade alguma de disputar almas nas esquinas com os profitentes de outros credos. 
Com pouco mais de um século, o Espiritismo tem feito progressos admiráveis, justamente por não sustentar qualquer tipo de pretensão, respeitando a fé de todos. 
Kardec, na humildade que o caracterizava, chegou mesmo a declarar que o Espiritismo era o "mais poderoso auxiliar" das religiões em sua luta contra o materialismo. 
Silenciosamente, os grupos espíritas vão-se multiplicando e a idéia espírita vai-se ramificando em todos os caminhos, produzindo os frutos sazonados do amor e da paz. 
Jesus, com um grupo de doze companheiros, trouxe o Evangelho ao mundo; Kardec, com uma reduzida equipe de cooperadores encarnados, fez com que o Espiritismo se espalhasse sobre a Terra... 
É interessante observar-se que, no caso do Brasil, por exemplo, antes que a mensagem espírita aqui chegasse, através dos primeiros núcleos na Bahia, a Espiritualidade já havia preparado o terreno, tornando-o fértil ao desenvolvimento das sementes da Terceira Revelação. 
É que o trabalho dos Espíritos Superiores sempre se antecipa ao dos homens.
Por isto, a Doutrina Espírita não tem necessidade de oferecer-se como se fosse um artigo de mercado... 
Quando famintas, as pessoas haverão de procurá-la, porquanto pressentem nela a expressão da Verdade, que não carece de violentar consciências.
O que é bom divulga-se por si mesmo. 
Realizemos simpósios e congressos, veiculemos o jornal e o livro, mas evitemos contender, disputar ou polemizar entre nós mesmos e, muito mais, entre aqueles que estimam discutir como se religião fosse uma paixão clubística. 
Não nos preocupemos em convencer. 
Onde falham as palavras, o exemplo é o melhor argumento.
 
LivroSeara de Luz
Irmão José & Carlos Baccelli

Sem comentários:

Enviar um comentário