sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

51 - Amor e Justiça. do Livro Justiça Divina - Chico Xavier / Emmanuel (FEB)

* Referência: Capítulos do Livro Justiça Divina - Chico Xavier/Emmanuel (FEB).
Objetivo: estudo de questões do livro O Céu e o Inferno (CI) de Allan Kardec.
Roteiro: Meditação - Leitura da Questão - Curiosidades.

(Meditação sobre o capítulo 51-Nas leis do destino)
Reunião pública de 18-8-61
CI – 1a Parte - Cap. VI – Item 15.
Na definição do Dicionário on-line Priberam:
Deus (latim deus, dei) 1. Ser supremo.
Ou seja, uma consciência que dispõe de qualidades, virtudes e habilidades infinitamente superiores a qualquer outra consciência existente.
Assim, como pensar num Criador que condena Suas criaturas ao sofrimento eterno?
"Não digas que Deus sentencia alguém a torturas eternas." – recomenda Emmanuel.
E defende seu ponto de vista levando-nos a observar como funciona a Lei de Deus em nosso plano de existência.
Vejamos o fogo:

Se bem controlado, é elemento de conforto e evolução.
Mas, se mal usado, é elemento de queimaduras, dores e destruição
As máquinas:

São os braços fortes do progresso.
Mas, se não tratadas, ocorrerá defeitos de funcionamento, de produção ou mesmo desastres.
"Na matemática do Universo, o destino dar-nos-á sempre daquilo que lhe dermos." – afirma Emmanuel.
Temos religiosos que nos descrevem um Deus rancoroso e vingativo, cheio de coroas e tronos dourados, sedento de vassalos e de louvações. Sim, temos muitos!
E muitos deles acreditam, com toda pureza de coração, que dizem a verdade, com base em livros, lendas e tradições muito antigas.
Mas, mesmo com toda pureza, mesmo com todo poder que os títulos e cargos podem conferir, ninguém poderá reduzir o Ser Supremo a algo que alguém supõe que Ele é.
Deus é Amor; 
um amor muito superior ao amor que compreendemos,
 
que permeia a matéria e se expande do microuniverso das partículas subatômicas
 
ao macrouniverso dos grandes grupos de galáxias.
Mas Deus também é justiça!
Para cada Espírito, direitos e deveres segundo suas escolhas.
"Sendo amor, concede à consciência transviada tantas experiências quantas deseje a fim de retificar-se.
"Sendo justiça, ignora quaisquer privilégios que lhe queiram impor.
" – esclarece Emmanuel.
Deus escolheria, então, alguns para a angelitude e outros para o sofrimento eterno?
Bajular alguns, condenar outros. Não parece um Ser Supremo.
Todo o Universo está em movimento de evolução, por impulso do Criador.
Pelo amor, Ele semeou nos caminhos de todos as bênçãos e luzes.
Pela justiça, Ele distribuiu para todos nós a vontade e a razão.
Nossa vontade e nossa razão determinará o que será nossa vida, nesse plano e no porvir.
"E não sofismemos a palavra de Jesus, quando prometeu ao companheiro de sofrimento, no Calvário, que estaria com ele no paraíso, como poderia estar em qualquer instituto de educação, no mundo espiritual, porque foi o próprio Cristo quem nos informou, de maneira incisiva, que o reino de Deus está dentro de nós." (Emmanuel)
Fonte: EB - Postado por Inacio Queiroz 

Sem comentários:

Enviar um comentário