sábado, 15 de junho de 2013

Chico Xavier

“Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer um pode começar agora e fazer um novo fim.”

A simplicidade desceu à Terra e em 02 de abril de 1910 na cidade mineira de Pedro Leopoldo nascia Francisco de Paula Cândido, nosso querido Chico Xavier. O “Cisco” como ele mesmo costumava se chamar.

Conta uma lenda que no final de março daquele ano, numa várzea próxima a Fazenda Modelo, ocorreu uma inédita aglomeração de garças que se misturando com os lírios da região formaram um todo branco e harmonioso.
Assim contou o poeta e historiador José Issa Filho: “e na manhã deste dia, bem cedo, as garças embranqueceram vários trechos do azul do nosso céu, voando aos bandos, sem a menor pressa, num ritual de graça e leveza, com as penas refletindo a luz do sol e espalhando o suave perfume dos lírios pelo povoado de Pedro Leopoldo”.
Difícil existir uma história de vida mais bela que a de Chico. Nascido em família pobre, perdeu a mãe aos cinco anos de idade e sofreu maus tratos quando teve de ir morar com a madrinha. Voltou a casa do pai que o obrigou a trabalhar muito cedo para ajudar nas despesas do lar. A sua mediunidade logo se manifestou causando-lhe inúmeros problemas, inclusive uma tentativa de internação forçada num abrigo para loucos. Conseguiu evitar a internação, mas foi obrigado abandonar a leitura que tanto gostava e trabalhar numa fábrica de tecidos, o que lhe deixou sequelas pelo resto da vida.
Aos dezessete anos iniciou os estudos do espiritismo e mais tarde fundou o Centro Espírita Luiz Gonzaga, onde psicografou suas primeiras cartas. Em 1931 conheceu o espírito Emanuel que seria seu mentor espiritual, a partir daí tem início uma vida de dedicação e ajuda ao próximo das mais notáveis, tornando-se um dos brasileiros mais amados e admirados do país.
Chico vendeu mais de cinquenta milhões de exemplares dos quase quinhentos livros psicografados e doou toda renda para instituições de caridade. Psicografou mais de dez mil cartas gratuitamente, consolando mães e familiares de desencarnados. Recebeu muitas homenagens sendo inclusive indicado em 1981 para o Prêmio Nobel da Paz.
Já bastante debilitado fisicamente, mas resplandecendo muita luz em seu corpo espiritual, retornou ao Mundo Maior em 30 de junho de 2002, dia em que a seleção brasileira de futebol tornava-se pentacampeã mundial. Escolheu desencarnar neste dia de festas para ninguém ficar triste com sua partida. Coisas do Chico.
A vinda de Chico Xavier à Terra representou muito mais do que já foi dito acima. Ele foi personagem importante no plano divino de aceleração evolutiva da humanidade. Sua principal missão foi difundir e popularizar a doutrina espírita, trazendo a público dois novos e importantes conceitos da Criação: a Reencarnação e o Carma.
É sabido que a evolução espiritual não dar saltos e Deus em sua sabedoria nos envia periodicamente seus filhos mais graduados para nos trazer o conhecimento das verdades divinas. Em 1804 nasceu na França Hippolyte Léon Denizard Rivail, o codificador da doutrina espírita que mais tarde ficou conhecido como Allan Kardec. Chico veio em seguida dar continuidade ao trabalho e divulga-lo para o Brasil e o mundo.
Alguns espíritas não compreendem isso e tentam rivaliza-los, ora diminuindo um e enaltecendo o outro e vice-versa. Outros acreditam serem os dois reencarnação do mesmo espírito, não observando as diferentes personalidades que os individualiza.
Obrigado Chico, seu trabalho deu bons frutos por todo o Brasil e hoje estamos mais bem preparados para assumir nosso papel no mundo de Nação Espiritual do Futuro.
Fonte: Carlos A S Sales

Sem comentários:

Enviar um comentário