domingo, 14 de abril de 2013

Celso de Almeida Afonso


Celso de Almeida Afonso é um médium brasileiro.
É um médium psicógrafo, famoso no meio espirita considerado o sucessor do médium Chico Xavier.
Celso de Almeida Afonso, nasceu em Araxá. Espírita, exerce a função de ourives em Uberaba e freqüenta o "Centro Aurélio Agostinho", onde há mais de quarenta anos pratica a mediunidade. A mãe de Celso, espírita convicta e praticante, levava o filho às reuniões. Algum tempo depois, o menino de 14 anos, viu nitidamente o pai (falecido há dois anos) em seu quarto. "Foi terrível, inexplicável. Ainda hoje não consigo descrever o que senti", diz num tom sério. A partir daí, o menino só dormiu com a luz do quarto acesa.

Aos dezesseis anos, morando em São Paulo, Celso foi a Sacramento visitar uma tia. A cidade estava em polvorosa. Todos falavam do homem que psicografava e trazia mensagens dos espíritos. Era Chico Xavier. Naturalmente, todos os espíritas iriam vê-lo e Celso decidiu comparecer ao evento. Vendo o tumulto e o número considerável de pessoas, afastou-se rapidamente. Foi quando uma senhora pediu: "Chico, autografa esse livro pra mim". Chico olhou na direção dele e disse: "Só se o Celso me emprestar a caneta que ele tem no bolso", conta o espírita.

Chico Xavier aproximou-se de Celso e o apresentou para a comitiva que o acompanhava: "Esse rapaz vai trabalhar conosco em Uberaba". Não querendo retrucar, Celso nada disse. Mas sabia que seria quase impossível trabalhar com Chico Xavier. A família era de Araxá, morava em São Paulo e não conhecia ninguém de Uberaba. "Só prá ver como é a vida: voltei para São Paulo, minha mãe ficou muito doente. O clima da cidade fazia muito mal para ela. Minha irmã casou e foi morar em Uberaba. Por causa da doença da minha mãe mudamos pra casa da minha irmã. Em apenas dois anos a previsão se cumpriu!", Celso garante.

Iniciando sua caminhada no Espiritismo, Celso participava das reuniões e, aos 23 anos, fez sua primeira psicografia. Porém não aceitava essa faculdade mediúnica. Tinha receio de ser chamado de charlatão, ser julgado pelas pessoas. Para ele, era difícil largar sua casa, a família e sentar numa mesa para psicografar na frente de uma enorme quantidade de pessoas. Certo dia, Chico Xavier o procurou e fez a inevitável pergunta: "Quando começa a psicografar ?". Celso, meio constrangido, alegou não ter capacidade para se expôr. Chico o observou em silêncio e disse: "Então você é melhor que Jesus. Ele foi julgado! Ora, Celso, se te chamarem de impostor você sabe que não é, e se te chamarem de santo, você também sabe que não é.. E mais: julgado, todos os dias nós somos: em casa, na rua, no emprego... O que importa é o trabalho a fazer."

Diante da insuperável argumentação, Celso começou efetivamente a psicografar perante o povo nas reuniões espíritas. "Peço apenas que essas mães rezem por mim... enquanto minhas orações chegam só até esse telhado aqui, a prece de mãe arromba a porta do céu!", afirma às gargalhadas

Chico Xavier Parabeniza Uberaba Através do Médium Celso
O médium Celso de Almeida Afonso esclarece que espírito não precisa de senha para enviar mensagem.

Com a ausência física de Chico Xavier (morto em 30 de junho de 2002), seus seguidores têm de tentar realizar um pouco daquilo que ele fez. É difícil, mas é preciso tentar. É o que afirma o médium Celso de Almeida Afonso, em entrevista ao Jornal de Uberaba. Ele lembra que Chico deixou exemplo de vida de uma pessoa boníssima, mais que médium, mais que espírita, com amor para distribuir a todos. "Escutamos muito e aprendemos com ele", frisa. Celso recebeu, em reunião pública, na noite de 2 de março de 2007, no Centro Espírita Aurélio Agostinho, mensagem de Chico Xavier alusiva ao aniversário de 187 anos de Uberaba.
- Celso revela ter ficado feliz por Chico Xavier ter se manifestado no dia do aniversário da cidade que ele tanto ama. E ainda na data em que era entregue a Comenda da Paz que leva seu nome. Comenta que, através da mensagem, ele transmitiu muita alegria. Destaca que muitos sentem falta de escutar o Chico, de vê-lo, de ouvir seus conselhos, pois ele era um pai, um irmão, um amigo. "Não gosto de endeusar ninguém, mas Chico era a pessoa certa em todos os momentos", reitera. Palavras de incentivo mostrando a importância de ser humilde e o dever das pessoas de exercitarem a humildade, segundo Celso, jamais serão esquecidas. Ele não esconde a emoção que sentiu ao receber a mensagem. "Me emocionei como me emocionaria com um grande amigo", ressalva.
Senha - Nos dias que sucederam à morte de Chico Xavier falou-se que quando ele enviasse mensagens elas seriam reconhecidas através de uma senha passada apenas a Celso. Ele diz não ter essa preocupação e tudo o que recebe é porque foi permitido por Deus. "Tudo o que recebo considero importante", frisa. Acrescenta que quem estuda o Espiritismo, sabe que um espírito não precisa de senha para dar mensagem. "Se alguém disse isso deve ter uma razão, e eu acato. Entretanto, a minha certeza é a minha, e ela é intransferível", enfatiza, acrescentando não ter receio daquilo que faz ao longo de quase 30 anos de trabalho ininterrupto, tendo Chico Xavier um dos seus grandes incentivadores.
Travesseiros - Após a morte de Chico, muitos espíritas começaram a se sentir órfãos. Celso de Almeida observa que Deus é o mesmo depois da ida de Chico, Jesus é o mesmo e a doutrina é a mesma. Explica que apenas ficou um espaço vazio, de um amigo que, fisicamente, estava presente, "mas espiritualmente ele continua conosco". No plano espiritual, Celso destaca que Chico está feliz como toda criatura com o dever cumprido. O travesseiro mais macio, segundo o médium, é o da consciência tranqüila. "Chico tem esse travesseiro. Espero que todos nós conquistemos um também", finaliza.
Fonte: Por: Rose Dutra - Jornal de Uberaba

2 comentários:

  1. gostaria saber uma indicação de médium psicografo

    ResponderEliminar
  2. gostaria saber uma indicação de médium psicografo

    ResponderEliminar